ampanha distribui equipamentos de segurança

Além de uniformes completos, que incluem botas, meias, calças, camisetas, luvas, máscaras, bonés e viseiras para cada integrante, as cooperativas e associações receberão um conjunto de produtos, como água sanitária, álcool em gel, pulverizadores e tapete sanitizante, fundamentais para a proteção coletiva. O kit também possui um guia, extraído do Manual Operacional do ORIS Observatório de Reciclagem lusiva e Solidária, com as orientações sobre a utilização dos materiais e cuidados para evitar o contágio do novo coronavírus.

Por estarem no grupo de alto risco de contaminação, os trabalhadores estavam com suas atividades de catação paralisadas desde março. Passados quase oito meses, os empreendimentos vivem um período de organização para adotar os novos protocolos de segurança e, sob o acompanhamento dos órgãos responsáveis, já retomam gradativamente os trabalhos.

O coordenador-executivo do CIRS, José Valverde, participou, nesta quarta-feira de entregas feitas catadores da Cooperativa Chico Mendes, localizada em São Mateus, e da Cooperleste de São Mateus, localizada na Fazenda do Carmo. “Esse ato hoje começa a simbolizar e também a ser um legado de que as cooperativas precisam, no pós-pandemia, incorporar a utilização desses importantes equipamentos para o bom andamento da atividade de segregação e de catação”.

O secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, aproveitou para enaltecer a importância dos catadores do Estado de São Paulo para o conceito da economia circular. “Eles são um importante elo para a execução da logística reversa. Um trabalho que beneficia o meio ambiente e a população, gerando emprego e renda”.